A OwnFone, companhia londrina que desenvolve celulares impressos em 3D, lançou o que considera ser o primeiro celular em braile à venda no mundo. O aparelho recebe o mesmo nome da empresa e está disponível apenas no Reino Unido por £ 60, equivalente a R$ 223,00. 

O dispositivo pode ser personalizado com dois ou quatro botões pré-programados com contatos de amigos, familiares, emergência, entre outros. Para quem não lê braile, há um modelo de impressão do texto em relevo no teclado.

Mover uma cadeira de rodas com a mente, como faz o professor Xavier dos X-Men, pode se tornar realidade graças à tecnologia desenvolvida por um grupo de estudantes canadenses.

Ryan Mintz e sua turma da Universidade de Toronto criaram um método de controle que permite mover um braço robótico com o cérebro. Tudo é feito com movimentos sutis da cabeça, como piscadas de olho ou o apertar da mandíbula.

O software entende até quando o usuário está relaxado, e eles fizeram tudo isso com um aparelho de ondas cerebrais e um laptop.

No longo prazo, segundo o Engadget, os estudantes pretendem tornar o método bom o suficiente para dispensar os movimentos. Assim, uma cadeira de rodas poderia ser controlada só com intenções que saiam do cérebro.

Fonte: Olhar Digital

As novas plataformas de web 2.0 – como é denominado o uso interativo da internet –, tais como blogs e redes sociais, têm transformado o modo de comunicar a ciência e aumentado a difusão de conteúdo científico em diversos países, incluindo o Brasil.

A avaliação foi feita por especialistas participantes de um painel sobre o uso de mídias sociais na comunicação da ciência durante a 13th International Public Communication of Science and Technology (PCST), realizada entre 5 e 8 de maio em Salvador, na Bahia.


As baterias de antigamente, feitas de níquel, possuíam um "efeito memória" que levava à perda de eficiência quando carregadas antes de a carga chegar ao fim. As baterias de íons de lítio, utilizadas na maior parte dos dispositivos atuais, se livraram da limitação, mas não duram para sempre. Por isso, veja o que você pode fazer para aumentar a duração da energia do seu dispositivo, com dicas elaboradas pelo site LifeHacker.


Imagine uma situação em que seu orientador pede que você submeta um artigo a uma revista A1. Ou ainda que você precise fazer um levantamento de artigos apenas em periódicos qualificados. Como fazer isso?
Antes de mais nada, é preciso saber que a qualidade dos periódicos é classificada anualmente em estratos: A1; A2; B2; B3; B4; B5; C.